Notícias

Testes de sensibilidade para Acinetobacter spp

Nota Técnica nº 347/2021 – CGLAB/DAEVS/SVS/MS
NOTA TÉCNICA CONJUNTA CGLAB, BrCAST e ANVISA

Coordenação-Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB)
Brazilian Committee on Antimicrobial Susceptibility Testing (BrCAST)
Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)

Orientações para auxiliar os laboratórios de microbiologia do Brasil na escolha de antimicrobianos a serem testados e reportados no teste de sensibilidade a antimicrobianos, principalmente frente a isolados de Acinetobacter spp. resistentes aos carbapenêmicos, baseado nas recomendações do BrCAST – 2021, em conjunto com revisão de literatura.

Apresentação

A Coordenação-Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB), pertencente à Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, a qual é a gestora do Plano de Ação Nacional de Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos no Âmbito da Saúde Única (PAN-BR), apresenta uma série de Notas Técnicas relacionadas aos testes de sensibilidade para os microrganismos de relevância em saúde pública, segundo regras do Brazilian Committee on Antimicrobial Susceptibility Testing – BrCAST.

Embora o PAN-BR seja um plano multissetorial, a Resistência aos Antimicrobianos (AMR) apresenta como seu principal pilar de enfrentamento a identificação bacteriana e perfil de sensibilidade por meio da Vigilância Laboratorial, pois, diferente de outras doenças e agravos, a AMR não é identificada clinicamente.

A identificação incorreta ocasiona falha no processo de tomada de decisão e, consequentemente, em todo o processo de vigilância e ação para o enfrentamento do problema.

Essa edição da Nota Técnica apresentará informações sobre os testes de sensibilidade para Acinetobacter spp. segundo regras do BrCAST.

O BrCAST

O BrCAST é um comitê designado conjuntamente pela Sociedade Brasileira de Análises Clínicas, Sociedade Brasileira de Infectologia, Sociedade Brasileira de Microbiologia e Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial, cujo termo de cooperação técnica entre as quatro sociedades foi assinado inicialmente em Agosto de 2013 e ratificado em Outubro de 2018.

O Ministério da Saúde, considerando a necessidade de padronização da interpretação dos testes de sensibilidade aos antimicrobianos (TSA), nos laboratórios clínicos e de pesquisa e a melhoria da qualidade dos resultados dos TSAs in vitro, publicou a Portaria nº 64 de 11 de Dezembro de 2018 que determina aos laboratórios da rede pública e privada, de todas as Unidades Federadas, a utilização das normas de interpretação para os TSAs, tendo como base os documentos da versão brasileira do European Committee on Antimicrobial Susceptibility Testing.

Leia a nota na íntegra:

(Fonte: CGLAB/DAEVS/SVS/MS)

Copyright © 2017 - AMECI